segunda-feira, 4 de junho de 2012

Futebol Retrô

O post de hoje, não é tão retrô assim, pois é de um uniforme de 2005, e foi um pedido do Maurílio. Em 2005, o Mundo do Futebol se mobilizou para o combate ao racismo e uma das iniciativas partiu da gigante americana Nike, que confeccionou pulseiras nas cores preta e branca, sob o lema "stand up speak uk", em que vários astros patrocinados pela Nike participaram da campanha. Uma das iniciativas, envolvia as seleções patrocinadas pela Nike, que em amistosos usariam camisas nas cores preta e branca, e uma das seleções foi a da Holanda. Embora Portugal tivesse recrutado jogadores de suas então colônias africanas já nos anos 60, e, antes dele, a França já o tivesse feito nos anos 30, ainda assim a Seleção Holandesa foi uma das primeiras seleções européias a recrutar negros em sua equipe, que por muito tempo ficou marcada por problemas de racismo. A maioria dos holandeses negros nasceu ou tem suas origens no Suriname, a antiga Guiana Horlandesa, e também nas Antilhas Holandesas. Caso dos próprios Gullit e Rijkaard, além de Kew Jaliens, Urby Emanuelson, Patrick Kluivert, Michael Reiziger, Winston Bogarde, Royston Drenthe, Ryan Babel e Nigel de Jong (nascidos na Holanda e com raízes no Suriname); Hedwiges Maduro, Vurnon Anita, Gregory van der Wiel (com origens nas Antilhas Holandesas) e Aron Winter, Ulrich van Gobbel, Edgar Davids, Clarence Seedorf e Jimmy Floyd Hasselbaink (nascidos no Suriname). Alguns possui ascendência marroquina, como Ibrahim Afellay, Ottman Bakkal e Khalid Boulahrouz. Aproveitando o post, gostaria de enfatizar que o racismo é o fenômeno que mais causou sofrimento à humanidade e deve ser duramente combatido.



(PDF)
(PNG)



Nenhum comentário :