sábado, 4 de agosto de 2012

Jogos Olímpicos - Retrô

A segunda cartela sobre a história do Brasil nos Jogos Olímpicos é a da Seleção Camaronesa, Campeã Olímpica nos Jogos de Sydney 2000. Apesar do Brasil contar com jogadores talentosos, como Ronaldinho, Roger, Lúcio e Alex, o ambiente não era dos melhores entre os jogadores e o técnico Wanderley Luxemburgo, que vinha sendo alvo de denúncias de sua ex-secretária. Nas partidas anteriores, o Brasil alternou entre bons e maus momentos e chegou para o jogo contra Camarões com a pressão de toda uma história de fracassos em Jogos Olímpicos. A seleção entrou em campo, em 23 de setembro de 2000, com Helton, Baiano, Fábio Bilica, Álvaro e Athirson; Fábio Aurélio, Marcos Paulo, Fabiano e Alex; Lucas e Ronaldinho. Lúcio, Roger e Geovanni também participaram da partida. O Brasil havia levado apenas jogadores com idade inferior a 23 anos, embora tivesse o direito, como hoje, de selecionar até três atletas mais velhos. Camarões, por exemplo, contava em seu elenco com o veterano Mboma, então com 29 anos, jogador do Parma, da Itália. E Mboma, foi o nome da partida. O atacante não fez uma jogada convencional nos 63 minutos em que permaneceu em campo. Além do gol, deu mais de um drible por baixo da perna de brasileiros, passou bolas de letra, usou a canela para iludir os zagueiros, fez a festa (como Zidane, na partida contra o Brasil na Copa de 2006, em que deu até chapéu em Ronaldo). A partir dos 30 minutos do segundo tempo, quando Njitap foi expulso por fazer cera na cobrança de um lateral, a pressão da torcida contra o Brasil aumentou. A partir deste momento, os torcedores não apenas apoiavam Camarões como começaram a vaiar os jogadores do Brasil. Nos últimos 15 minutos do tempo normal, o juiz alemão Herbert Fandel expulsou ainda um segundo jogador africano, Nguimbat, e marcou uma falta a favor do Brasil, quase dentro da área, já nos acréscimos. Antes da cobrança da falta, numa confusão nunca bem explicada, Lucio acertou uma cabeçada em Roger, que só não degenerou em pancadaria dentro do campo devido à intervenção de Alex. Ronaldinho empatou a partida aos 48 minutos do segundo tempo, levando o jogo para a prorrogação. Aos 8 minutos da prorrogação, Fabiano fez o gol que classificaria o Brasil, mas o juiz o anulou alegando um impedimento que não ocorreu. Incapaz de resolver um jogo de 11 contra 9 jogadores, o Brasil foi finalmente castigado, aos 8 minutos do segundo tempo, com um contra-ataque de Camarões, concluído para o gol por Mbami. Assim terminou mais um capítulo da busca brasileira pelo Ouro Olímpico no Futebol.



(PDF)
(PNG)

Nenhum comentário :