segunda-feira, 23 de março de 2015

Premier League 2014-15

A última postagem da premier League é a cartela do West Ham. Após uma boa temporada de retorno à elite do futebol inglês, em que garantiu um seguro décimo lugar, a expectativa da torcida era de que o West Ham mostrasse evolução durante o último certame e brigasse por uma posição na parte superior da tabela. Por este prisma, no entanto, a temporada foi um desastre. A equipe não rendeu nem próximo do que era esperado, principalmente durante o primeiro turno, as recorrentes lesões impediam que o considerado “onze inicial” entrasse em campo e o fantasma do rebaixamento voltou a assombrar os torcedores até o fim do campeonato. Por tudo isso, essa temporada foi iniciada com clima de desconfiança e certo ceticismo por grande parte da torcida. O futebol pragmático e defensivo do técnico Sam Allardyce é apontado por nove em cada dez torcedores como o motivo fulcral para os resultados ruins da equipe na temporada passada. Então, para tentar alterar este cenário, Sullivan e Gold, principais donos do clube, se reuniram com o treinador e lhe deram uma espécie de ultimato: ou os Hammers mostram um futebol mais ofensivo e envolvente nessa temporada, ou o Big Sam não seguiria em Upton Park até o final de seu contrato (seu vínculo com o clube londrino vai até junho de 2015). O grande problema, portanto, se resume a um dito popular: não se pode ensinar novos truques a um cachorro velho. Para boa parte da torcida (e também da critica esportiva), Allardyce não é capaz de alterar o esquema de jogo que implementou durante toda a sua vida, por todos os clubes que passou: primazia defensiva, bolas longas e forte jogo aéreo, com enorme dependência de um centroavante de área. E, se a desconfiança quanto a capacidade do treinador em mudar seu estilo já era grande antes do início dos treinamentos, os amistosos de pré-temporada serviram apenas para ampliar os temores da torcida. Além de só ter conseguido sua primeira vitória na última partida que disputou, contra a Sampdoria (antes, foram três empates e três derrotas), a equipe voltou a mostrar aquele mesmo futebol pragmático e sem criatividade, alvo de tantas críticas. Como forma de ilustração, basta ver as estatísticas da participação dos Irons no torneio disputado em Gelsenkirchen, na Alemanha: em 180 minutos de futebol, contra Schalke 04 e Málaga, a equipe somou míseras cinco finalizações, sem marcar nenhum gol. Apesar dos pesares, as movimentações do clube no mercado de transferências serviram de alento para a torcida. Cresswell mostrou grande promessa e consistência durante sua passagem pelo Ipswich; Kouyate é um volante moderno, que passa segurança na defesa e possui boa saída de bola; Poyet foi o grande destaque do Charlton, e é visto como ótima opção para o meio de campo no longo prazo; e a dupla sulamericana, Zarate e Valencia, pode trazer o poder de fogo e a criatividade ofensiva que tanto fizeram falta ao clube nos últimos anos. Além deles, o clube também trouxe o ex-atacante Teddy Sheringham, para auxiliar os treinamentos do setor ofensivo. O grande porém ficou por conta da lesão (mais uma) de Andy Carroll, que está fora de combate. A atual temporada tem mostrado que Allardyce conseguiu melhorar a equipe, e depois de 30 rodadas, o West Ham está na 9ª colocação.

2 comentários :

W-Liga Botão Clube disse...

Agora será a Libertadores!!!!

W-Liga Botão Clube disse...

Bem, será que pós Libertadores você pode fazer a J-League?! Seria uma forma de sair da velha rotina de Bunds Liga, Premier League, Liga BBVA e etc... É meu humilde pedido! Grande abraço!