terça-feira, 13 de outubro de 2015

Brasileirão 2015

Dei uma pausa nas postagens, mas volto hoje com o Avaí. O Avaí jamais esteve na zona de rebaixamento. Mas isso não quer dizer que não tenha sofrido ao longo deste Brasileiro. Ao contrário: a queda do time catarinense na tabela de classificação começou já na sétima rodada, do sétimo para o nono lugar. E não parou mais. Foi indo para décimo, 12º, 13º, 15º ... Até chegar a 16º, o último lugar antes dos quatro que, no ano que vem, terão que disputar a Série B. Chegou a essa posição na 16ª rodada e não saiu mais, terminando ali o primeiro turno. A lesão do meia e capitão Marquinhos, e seu consequente afastamento por mais de um mês, foi o que mais prejudicou a equipe do técnico Gilson Kleina. Sem seu camisa 10, a referência passou a ser o atacante André Lima, artilheiro da equipe com cinco gols. Com um sistema geralmente montado no 4-4-2, o Avaí apresentou, principalmente, muitas falhas defensivas. Tanto que fechou o turno como a segunda equipe com mais gols sofridos no campeonato (28), ao lado do Flamengo (11º colocado) e atrás somente do lanterna Vasco, que conseguiu sofrer 31 gols. Para o Avaí, tão ruim quanto a própria queda de produção tem sido assistir ao crescimento de seus rivais diretos na luta contra o rebaixamento, principal objetivo da equipe desde o começo deste Brasileiro. Goiás, Coritiba e mesmo o Joinville terminaram a primeira metade do campeonato em alta, aumentando ainda mais essa pressão. Passadas 29 rodadas, o Avaí está na 15ª colocação, muito proximo da zona do rebaixamento.
Fonte: Guia PLACAR do Brasileirão 2015 - 2º Turno