sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Hexa é Luxo - 20 anos do Hexacampeonato do Sergipe

Bem pessoal, depois de alguns comentários e pedidos dos amigos que acompanham o blog, resolvi postar as cartelas de todos os títulos do Hexacampeonato conquistado pelo Club Sportivo Sergipe. Hoje é a vez do Bicampeonato de 1992. 
Logo que o Campeonato Sergipano de 1992 entrou em sua fase mais quente, depois de quase oito meses de turnos, returnos e quadrangulares decisivos de cada turno, o atordoado torcedor pôde ter ao menos uma certeza: só mesmo um desastre poderia tirar o Bi das mãos do Sergipe.
Na reta final, o time rubro entrava com quase inalcançáveis quatro pontos de bonificação, contra dois do Confiança, seu mais direto rival durante toda a campanha, e nenhum de Itabaiana e São Cristóvão, os dois outros participantes do que se convencionou chamar de quadrangular decisivo. Nem tudo, entretanto, foi tão fácil para o Sergipe como pôde parecer no final deste tão longo campeonato. O torcedor rubro que puxar pela memória vai se lembrar sem muita dificuldade da decepção do primeiro turno, quando dois empates (2 x 2 e 0 x 0) com o fraco São Cristóvão deixaram o título e os primeiros dois pontos de bonificação nas mãos do arquinimigo Confiança. Menos mal que, mesmo sendo derrotado por 1 x 0 na partida extra, o time garantiu pelo menos um ponto para a decisão.
Foi a partir do segundo turno que tudo mudou. Calejada, a diretoria nem consultou o treinador Ivan Gradim, filho do falecido técnico vascaíno Gradim, para trazer os reforços que se faziam necessários. Vieram de uma só vez o lateral Cidinho, o meio-campo Zé Raimundo e o ponta Jorge, além do atacante Leniton - artilheiro da campanha do ano anterior - , de volta de um empréstimo ao Bahia. Era tudo o que faltava para a disparada do Bi: arrasando os adversários (a União de Propriá chegou a levar 10 x 0), o Sergipe ganhou, de uma só vez, o segundo turno invicto, o quadrangular do turno e mais três pontos de bonificação, entrando no quadrangular decisivo com quatro.
Aí bastaram quatro vitórias seguidas logo nos primeiros jogos para confirmar antecipadamente o que todo mundo já sabia: ninguém pôde como Sergipe.
Texto retirado da Revista Placar Nº 1079 de Janeiro de 1993

Um comentário :

W-Liga Botão Clube disse...

Passando para deixar aqui o nosso registro!