quinta-feira, 23 de abril de 2015

Libertadores 2015 - Grupo 5

Depois de uma breve pausa nas postagens, volto com o Grupo 5. O latente vácuo político no futebol argentino post mortem de Julio Grondona ficou ainda mais notório quando o Boca Juniors – que a priori teria que jogar a Primeira Fase da Libertadores contra o Independiente del Valle como o segundo melhor argentino classificado na Copa Sul-americana de 2014 – conseguiu através de seu presidente Daniel Angelici anular a vantagem do Velez no saldo de gols na tabela anual de pontos, forçando um jogo de desempate. Como se sabe os xeneizes venceram por 1 a 0, com gol de Nicolás Colazo, eliminando o Velez e colocando o Estudiantes de La Plata na Libertadores. Sem pena e a espera da glória, o Boca entrou na Libertadores em um grupo em que também esteve o heroico e audaz Palestino, dirigido por mais um “bielsista” de lei, o treinador argentino Pablo Guede. O Zamora, líder do Torneio Clausura da Venezuela, tratou se restruturar após a saída de Noel Sanvicente, técnico que após o bicampeonato nacional deixou La Furia Llanera para assumir a seleção vinotinto, ao passo que o tradicional Montevideo Wanderers driblou o desmantelamento do elenco  que conquistou o Clausura 2014 e o vice nacional sob a batuta de Alfredo Arias. Como já era de se esperar, o Boca Juniors conseguiu classificação em 1º Geral. A segunda vaga do grupo ficou com o uruguaio Montevideo Wanderers.
Fonte: Site Trivela

Boca Juniors/ARG - (PDF) (PNG)
Montevideo Wanderers/URU - (PDF) (PNG)
Palestino/CHL - (PDF) (PNG)
Zamora/VEN - (PDF) (PNG)

quarta-feira, 15 de abril de 2015

J-League 2015

O próximo projeto do Sandescudos é a J-League 2015. Já a algum tempo estava pensando em publicar material de um campeonato alternativo, aí veio algumas idéias como algum campeonato do mundo árabe ou o Campeonato Chinês, pela quantidade de jogadores brasileiros que jogam por lá. Mas aí um dos botonistas que acompanham o Blog sugeriu a J-League, e resolvi aderir a sugestão dele, pois além de ser uma competição que melhorou de nível ao longo dos anos, sempre acolheu muitos craques brasileiros como Zico, Alcindo, Leonardo, entre outros.

domingo, 12 de abril de 2015

Libertadores 2015 - Grupo 4

Hoje é a vez do Grupo 4 da Libertadores. O Inter arrancou o terceiro lugar do Campeonato Brasileiro na última rodada e garantiu a sua passagem à fase de grupos de forma direta, mas isso não facilitou muito o caminho. Os adversários deste grupo 4 são complicados, sendo dois deles campeões nacionais, o Emelec e a Universidad de Chile. Os dois fizeram campanhas importantes nos seus país e chegaram fortes para a Libertadores. O Strongest não é um time tão forte quanto os demais, mas está longe de uma galinha morta como um dia já foi. O time de Pablo Escobar é muito forte em La Paz, por causa da altitude, mas também tem complicado ao nível do mar. Em 2014, chegou às oitavas de final justamente porque soube complicar.
Fonte: Site Trivela

Emelec/EQU - (PDF) (PNG)
Internacional - (PDF) (PNG)
The Strongest/BOL - (PDF) (PNG)
Universidad de Chile/CHL - (PDF) (PNG)

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Libertadores 2015 - Grupo 3

Mais uma postagem da Libertadores 2015, o Gripo 3. O Cruzeiro não começou a Libertadores deste ano com o mesmo favoritismo da anterior, quando era indiscutivelmente o melhor time do Brasil. Vendeu seus principais jogadores, trouxe caras novas e passa pelo período de transição entre o fim de um ciclo vitorioso e o começo de uma nova era, ainda desconhecida. Mas o sorteio foi bondoso. Colocou três times de pouca tradição na fase de grupos para o bicampeão brasileiro poder usar boa parte do primeiro semestre para ir se acertando. Tem que tomar cuidado com algumas armadilhas. O Huracán, em casa, pode complicar, e o Universitario Sucre o recebe na altitude. Tirando isso, mesmo montando um novo time quase do zero, difícil imaginar qualquer outro cenário que não classifique o clube mineiro sem sustos.
Fonte: Site Trivela

Cruzeiro - (PDF) (PNG)
Huracan/ARG - (PDF) (PNG)
Mineros de Guayana/VEN - (PDF) (PNG)
Universitario de Sucre/BOL - (PDF) (PNG)

domingo, 5 de abril de 2015

Libertadores 2015 - Grupo 2

Hoje é a vez do Grupo 2 da Libertadores. Quis o sorteio de Luque que o Grupo 2 fosse devidamente etiquetado como “da morte” antes mesmo da definição do Corinthians como o representante brasileiro na primeira fase da Libertadores. A tranquila classificação contra o Once Caldas colocou o Timão de forma contundente na rota do tricampeão São Paulo e do atual campeão San Lorenzo. Pouco cotado nas apostas, o bravo Danubio, campeão da última temporada do futebol uruguaio, assume o papel de azarão apostando na manutenção do ciclo do jovem treinador Leonardo Ramos; no entanto as partidas do meia Camilo Mayada –  que foi para o River – assim como do arqueiro Salvador Ichazo trazem ainda mais interrogações.  O São Paulo manteve a base do vice campeonato nacional com algumas contratações pontuais, que todavia não passam de apostas. O San Lorenzo tenta retomar a pegada do primeiro semestre do ano passado quando, por fim, conquistou por primeira vez a América; a derrota frente ao River na Recopa desnudou a queda técnica graças as ausências de Ortigoza e Romagnoli, além da saída de Walter Kannemann, Nacho Piatti e Angel Correa – os dois últimos já no final da Libertadores 2014.
Fonte: Site Trivela

Corinthians - (PDF) (PNG)
Danúbio/URU - (PDF) (PNG)
San Lorenzo/ARG - (PDF) (PNG)
São Paulo - (PDF) (PNG)

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Libertadores 2015 - Grupo 1

Depois de alguns dias de descanso, volto hoje com a série da Libertadores. Visto que são 32 equipes, as postagens serão por grupo, começando pelo Grupo 1. O sorteio colocou um grupo que é difícil apontar os classificados. O Atlético Mineiro, como campeão de 2013 e um dos melhores times do Brasil em 2014, chega como favorito, mas a tarefa é complicada. O Colo Colo se classificou como o campeão do Clausura em 2014 e foi o terceiro colocado no último Apertura, atrás apenas da campeã Universidad de Chile e do Santiago Wanderers. Tem um ataque experiente com Esteban Paredes e Humberto Suazo, além do meio-campista Beausejour, todos jogadores de seleção chilena. O goleiro é o veterano Villar, da seleção paraguaia. Já o Atlas chegou à Libertadores como terceiro melhor da fase de classificação do Apertura mexicano, em um time que se destacou por jogar e deixar jogar. Um dos destaques é chileno: o meio-campista Rodrigo Millar, de 33 anos. Só a viagem para Guadalajara já deve cansar os adversários, que terão que lidar com uma equipe que joga em velocidade. Por tudo isso, o grupo é difícil definir e deve ter uma disputa bastante acirrada pelas duas vagas nas oitavas de final.
Fonte: Site Trivela

Atlas/MEX - (PDF) (PNG)
Atlético/MG - (PDF) (PNG)
Coco Colo/CHL - (PDF) (PNG)
Independiente Santa Fé/COL - (PDF) (PNG)

sexta-feira, 27 de março de 2015

Sandescudos na Web

Para fechar com chave de ouro a série dedicada à Premier League, o Sandescudos apareceu novamente na página Verminosos por Futebol, do amigo Rafael Azevedo. Gostaria de agradecer mais uma vez ao Rafael, pela divulgação do trabalho, que ao longo desses 5 anos tem sido desenvolvido com muita dedicação e amor ao Futebol de Mesa. Aproveito para agradecer também aos amigos que acompanham as postagens e que fazem suas encomendas através do e-mail, pois sem o prestígio que vocês dão a esse humilde espaço, esse reconhecimento não seria possível. 

segunda-feira, 23 de março de 2015

Premier League 2014-15

A última postagem da premier League é a cartela do West Ham. Após uma boa temporada de retorno à elite do futebol inglês, em que garantiu um seguro décimo lugar, a expectativa da torcida era de que o West Ham mostrasse evolução durante o último certame e brigasse por uma posição na parte superior da tabela. Por este prisma, no entanto, a temporada foi um desastre. A equipe não rendeu nem próximo do que era esperado, principalmente durante o primeiro turno, as recorrentes lesões impediam que o considerado “onze inicial” entrasse em campo e o fantasma do rebaixamento voltou a assombrar os torcedores até o fim do campeonato. Por tudo isso, essa temporada foi iniciada com clima de desconfiança e certo ceticismo por grande parte da torcida. O futebol pragmático e defensivo do técnico Sam Allardyce é apontado por nove em cada dez torcedores como o motivo fulcral para os resultados ruins da equipe na temporada passada. Então, para tentar alterar este cenário, Sullivan e Gold, principais donos do clube, se reuniram com o treinador e lhe deram uma espécie de ultimato: ou os Hammers mostram um futebol mais ofensivo e envolvente nessa temporada, ou o Big Sam não seguiria em Upton Park até o final de seu contrato (seu vínculo com o clube londrino vai até junho de 2015). O grande problema, portanto, se resume a um dito popular: não se pode ensinar novos truques a um cachorro velho. Para boa parte da torcida (e também da critica esportiva), Allardyce não é capaz de alterar o esquema de jogo que implementou durante toda a sua vida, por todos os clubes que passou: primazia defensiva, bolas longas e forte jogo aéreo, com enorme dependência de um centroavante de área. E, se a desconfiança quanto a capacidade do treinador em mudar seu estilo já era grande antes do início dos treinamentos, os amistosos de pré-temporada serviram apenas para ampliar os temores da torcida. Além de só ter conseguido sua primeira vitória na última partida que disputou, contra a Sampdoria (antes, foram três empates e três derrotas), a equipe voltou a mostrar aquele mesmo futebol pragmático e sem criatividade, alvo de tantas críticas. Como forma de ilustração, basta ver as estatísticas da participação dos Irons no torneio disputado em Gelsenkirchen, na Alemanha: em 180 minutos de futebol, contra Schalke 04 e Málaga, a equipe somou míseras cinco finalizações, sem marcar nenhum gol. Apesar dos pesares, as movimentações do clube no mercado de transferências serviram de alento para a torcida. Cresswell mostrou grande promessa e consistência durante sua passagem pelo Ipswich; Kouyate é um volante moderno, que passa segurança na defesa e possui boa saída de bola; Poyet foi o grande destaque do Charlton, e é visto como ótima opção para o meio de campo no longo prazo; e a dupla sulamericana, Zarate e Valencia, pode trazer o poder de fogo e a criatividade ofensiva que tanto fizeram falta ao clube nos últimos anos. Além deles, o clube também trouxe o ex-atacante Teddy Sheringham, para auxiliar os treinamentos do setor ofensivo. O grande porém ficou por conta da lesão (mais uma) de Andy Carroll, que está fora de combate. A atual temporada tem mostrado que Allardyce conseguiu melhorar a equipe, e depois de 30 rodadas, o West Ham está na 9ª colocação.

segunda-feira, 16 de março de 2015

Premier League 2014-15

O Penúltimo post da Premier League é a cartela do West Bromwich. Foi por pouco, mas o West Bromwich se salvou do rebaixamento na temporada passada da Premier League. Os Baggies ficaram na 17ª colocação, com três pontos a mais que o Norwich, primeiro no Z-4. A equipe também foi a que mais empatou (15) e ainda encarou uma sequência de nove jogos sem vitória. Para essa temporada, o clube ‘abriu o bolso’ e acertou com sete contratações: o atacante nigeriano Ideye Brown, os zagueiros Joleon Lescott (ex-Manchester City) e Jason Davidson, o lateral-esquerdo belga Sébastien Pocognoli, o lateral-direito costarriquenho Christian Gamboa, o defensor Andre Wisdom, emprestado pelo Liverpool, e o defensor/volante Chris Baird (ex-Fulham). O espanhol Pepe Mel deixou o time no final da temporada e quem assumiu o comando é Alan Irvine, que já treinou o Preston North End e o Sheffield United e estava nas divisões de base do Everton antes de acertar com o clube. A inexperiência na Premier League (Irvine nunca treinou nenhuma equipe da primeira divisão) não está pesando para o escocês, pois o West Bromwich vem fazendo uma temporada razoável. Com as contratações, o West Brom conta com alguns bons jogadores em diversas posições, o West Brom está superando as expectativas e depois de 29 rodadas, a equipe está na 13ª colocação e escapando da zona de rebaixamento.

sábado, 14 de março de 2015

Premier League 2014-15

A cartela de hoje é do Tottenham. Com o sexto lugar na temporada 2013-14 da Premier League, o Tottenham ficou mais uma vez pelo caminho na briga por uma vaga na Champions League. A expectativa para o próximo ano segue sendo voltar a disputar a principal competição europeia. O mercado dos Spurs para a essa temporada foi pouco movimentado. O clube contratou o promissor lateral-esquerdo Ben Davies junto ao Swansea, o goleiro Michel Vorm, também da equipe galesa, e o jovem zagueiro Eric Dier, do Sporting. O lateral DeAndre Yedlin foi contratado junto ao Seattle Sounders, mas fica no clube da MLS e só se apresenta aos Spurs para a próxima temporada. Deixaram White Hart Lane o meia Sigurdsson (Swansea), o goleiro brasileiro Gomes (Watford) e o volante Jake Livermore (Hull City). A maior esperança da torcida foi a chegada do técnico Mauricio Pochettino, que teve grande desempenho à frente do Southampton na temporada passada, deu uma cara nova à equipe. Tão criticado pela apatia e más atuações com a camisa dos Spurs, o meia Erik Lamela teve boas atuações na pré-temporada e conta com o apoio de Pochettino e tem a oportunidade de justificar os 30 milhões de euros investidos na sua contratação. Mas o destaque dos Spurs nessa temporada são os gols do jovem atacante Harry Kane, que depois de sucessivos empréstimos, retornou ao clube que o revelou. Kane detém uma boa média de gols na temporada e é um dos artilheiros da Premier League da atual edição.  Como na temporada anterior, o Tottenham luta por uma vaga na Champions League e depois de 28 rodadas está na 6ª colocação.
Fonte: Site Premier League Brasil

sexta-feira, 13 de março de 2015

Premier League 2014-15

Na reta final da Premier League, hoje é a vez do Swansea. Sem fazer muito barulho, o time do País de Gales foi ao mercado em busca de reforços para mirar uma temporada bem melhor do que a anterior, onde terminou na 12ª posição na Premier League, com 11 vitórias conquistas e 42 pontos somados. Além de não brigar por competições europeias na temporada passada, a preocupação maior o tempo todo foi com a parte baixa da classificação. Nas copas domésticas, os Swans foram eliminados na quinta rodada da FA Cup e na terceira fase da Copa da Liga. A campanha abaixo da meta estabelecida pela direção do clube custou à demissão do técnico Michael Laudrup ainda na metade da temporada. Para seu lugar, chegou Gary Monk que veio como interino e foi efetivado logo após o final da temporada ao cargo. No mercado de verão, os Swans se focaram em reforços para melhorar a sua produção ofensiva. No Tottenham, o Swansea buscou o islandês Gylfi Sigurdsson por 10 milhões de Libras. Do México, veio o equatoriano Jefferson Montero comprado ao Morelia (5 milhões). E da França o experiente Bafetimbi Gomis, junto ao Lyon (zero custos). Três jogadores com experiência em suas seleções nacionais e que chegam com a missão de exonerar o trabalho do ótimo atacante marfinense Wilfried Bony como referência ofensiva (que na janela foi para o Manchester City). Ainda para o ataque, o Swansea ainda trouxe o atacante holandês Marvim Emnes, junto ao Middlesborough (valores ainda não confirmados). Outro destaque foi a contratação do goleiro Lukasz Fabianski, junto ao Arsenal (zero custos). Fabianski chegou para o lugar de Michel Vorm, que foi para o Tottenham e contará com uma defesa experiente e entrosada a sua frente, jogando junto a basicamente três temporadas, com destaque para o bom zagueiro Ashley Williams, de contrato renovado por mais três temporadas. Por outro lado, boa parte da “legião espanhola” que estava com Laudrup deixou o Liberty Stadium. Destaque para o outrora valorizado atacante Michu, que foi negociado por empréstimo ao Napoli, da Itália. Uma baixa sentida no elenco foi o meia Ben Davies, que foi para o Tottenham junto com Vorm. Apesar das mudanças, o Swansea já mostrou em outras oportunidades que é um dos times mais “casca grossa” de se enfrentar na Premier League, sobretudo a quem visita o País de Gales e a tabela de classificação vem mostrando isso. Atualmente, depois de 28 rodadas, a equipe está na 9ª colocação e vem fazendo uma campanha dentro do planejado.

domingo, 8 de março de 2015

Premier League 2014-15

Mais uma cartela da Premier League, a do Sunderland. O grande desafio do treinador uruguaio Gustavo Poyet é conseguir levar o clube a uma posição tranquila na tabela, sem sobressaltos. Na temporada passada, foram apenas 10 vitórias em 38 jogos e uma discreta 14ª posição, apenas cinco pontos a frente do Norwich, que foi o primeiro rebaixado na Premier League. Nas copas, a equipe caiu na sexta rodada da FA Cup, mas ficou com o vice-campeonato da Copa da Liga Inglesa. Perder talentos importantes como Jordan Henderson e Simon Mingolet ao longo das temporadas tornou complicado a reposição e reconstrução do elenco do Sunderland. Mas, para esta temporada, as coisas foram mais calmas nos arredores do Stadium of Light. O time foi às compras de modo mais criterioso para tentar melhorar sua posição na liga e passar longe dos riscos de rebaixamento nesta temporada. Começando pela boa contratação do volante Jack Rodwell (ex-Manchester City). Outros reforços adquiridos pelos Black Cats foram os defensores Billy Jones (ex-West Bromwich), Patrick van Aanholt (ex-Chelsea) e o meia espanhol Jordi Gomez (ex-Wigan). O goleiro romeno Costel Pantilimon (ex-Manchester City) e o zagueiro argentino Santiago Vergini (emprestado pelo Estudiantes-ARG) fecharam a lista de nomes contratados. Dentre as saídas, um destaque para o atacante Ignacio Scocco, que chegou para tentar resolver o problema de gols da equipe e não marcou nenhuma vez em oito jogos. Scocco retornou para o Newell’s Old Boys e não deve deixar saudade alguma nos torcedores. O atacante italiano Fabio Borini, que seria comprado em definitivo junto ao Liverpool, acabou não acertando salários com o clube e não permanecerá no clube do Norte Inglês. Os reforços contratados pelos Black Cats se juntaram a uma base interessante, com nomes como John O’Shea, Emmanuel Giacherinni, Adam Johnson, Connor Wickham e Jozy Altidore. Como aconteceu  na temporada passada, o Sunderland luta para sair da parte de baixo da tabela, mas até a 28 rodada a equipe ocupa a 16ª colocação e está ameaçado de rebaixamento.