segunda-feira, 31 de agosto de 2015

J-League 2015

Mais uma cartela da J-League, a do Ventforet Kofu. A mudança mais significativa no Kofu para 2015 é a troca de treinador. Saiu Hiroshi Jofuku, o retranqueiro número um da J-League, e entrou Yasuhiro Higuchi, responsável pela melhor defesa de 2014 no Yokohama F-Marinos. Ou seja, na prática não vai mudar muito do time que se fechava para jogar por uma bola (ou por nenhuma, já que muitas vezes um 0x0 fora de casa é um bom resultado para quem foge do descenso). A equipe, porém, não parece melhor que a de 2014, pelo menos  no papel. Na defesa, o bom zagueiro Sho Sasaki foi para o Hiroshima. Seu lugar deve ser herdado por Masaki Watanabe (ex-Kitakyushu) ou Koji Noda (ex-Nagasaki). Naoaki Aoyama, outro zagueiro titular, foi embora para o futebol tailandês. No gol, Kohei Kawata deixou a reserva do Gamba para disputar a titularidade com Kota Ogi. Os três novos brasileiros da equipe terão papel importante - Adriano Martins (ex-Tokushima) e William Henrique (ex-Vitória) no ataque e Bruno Dybal (ex-Palmeiras) no meio-campo. Espera-se que a jovem promessa Yuki Horigome finalmente esteja pronta para a J1 após dois bons anos na J2 com Kumamoto e Ehime. Percebeu que os principais reforços japoneses vieram da segunda divisão ou eram reservas na primeira? Higuchi terá uma verdadeira prova de fogo como treinador agora que tem um elenco bem mais limitado do que estava acostumado no Marinos. Sobreviver é o objetivo. No 1º Turno, o Ventforet Kofu terminou na 12ª colocação. Atualmente, depois de 9 rodadas do 2º Turno, a equipe está na 13ª colocação.

sábado, 29 de agosto de 2015

J-League 2015

Continuando com os times da J-League, hoje é a vez do Vegalta Sendai. Quase rebaixado em 2014, a movimentação do Vegalta na janela de transferências indica mais um ano difícil pela frente. Susumu Watanabe, auxiliar desde 2005 mas que iniciou a carreira como técnico apenas ano passado (após a demissão do australiano Graham Arnold), terá pela frente sua primeira temporada desde o início. O elenco teve baixas consideráveis como o volante/zagueiro Makoto Kakuda (Kawasaki), o meia Yoshiaki Ota (Iwata) e os atacantes Yuki Muto (Urawa) e Shingo Akamine (Gamba). Os principais reforços são o atacante Hidetaka Kanazono (ex-Iwata) e o zagueiro Hirofumi Watanabe (ex-Kashiwa). De resto, entre jogadores que estavam na J2 ou eram reservas na J1, nada que empolgue o torcedor.  A posição de goleiro é um problema desde a saída de Takuto Hayashi. Kentaro Seki tem sido titular, mas pode perder o lugar para o recém-chegado Yuji Rokutan (ex-Marinos) ou o jovem Daniel Schmidt. Com a saída de Kakuda, a pressão aumenta em cima da zaga e Ryang Yong-Gi pode ter que jogar mais como volante do que como meia. Hiroaki Okuno (de volta de empréstimo do Nagasaki) deve herdar a vaga de Ota na meia direita. Wilson carrega a responsabilidade de comandar o ataque, mas ele terá que recuperar a boa fase dos anos anteriores - fez apenas quatro gols em 2014. Com uma defesa frágil e um ataque que tem sido pouco efetivo, o Vegalta já terá um ano positivo se não for rebaixado. No 1º Turno, o Vegalta Sendai ficou com a 7ª colocação e atualmente, depois de passadas 9 rodadas do 2º Turno, a euqipe está na penúltima colocação.
Fonte: Guia J-League 2015 GE 

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

J-League 2015

Na reta final das postagens da J-League, hoje é a vez do Urawa Red Diamonds. Depois do fracasso de 2014, quando deixou escapar por entre os dedos um título da J-League praticamente ganho, a diretoria não perdeu tempo para correr atrás de reforços. Como de costume, um nome de destaque vindo de Hiroshima encabeça a lista: Naoki Ishihara. Vieram também Toshiyuki Takagi (Shimizu), Zlatan Ljubijankic (Omiya) e Yuki Muto (Sendai). Até mais atacantes do que o necessário, mas o setor que era o mais sem brilho da equipe agora se tornou um dos mais fortes da liga. Pelo menos na teoria. O elenco ficou com oito bons jogadores para três vagas na linha de frente do 3-4-2-1 empregado pelo sérvio Mihailo Petrovic. Não há um craque (Kashiwagi é o que mais chega perto disso), mas são todos bons o bastante para criar uma forte concorrência pela titularidade. Na defesa, ponto forte do time em 2014, vieram apenas nomes para compor elenco, à exceção do lateral (que agora será ala) Wataru Hashimoto (Kashiwa). Faltou um reforço de peso apenas para a posição de volante, pois o capitão Yuki Abe e Keita Suzuki já são veteranos (ambos com 33 anos), e Takuya Aoki não tem repetido as boas atuações dos tempos de Omiya. Kashiwagi pode passar a ser mais utilizado na posição. Desde o início da era Petrovic, a cada ano o Urawa se reforça mais, é sempre cotado como favorito mas desmorona na reta final e termina a temporada sem nada. Desde a ACL em 2007 o gigante de Saitama não conquista um título. Tempo demais para o clube mais rico e mais popular do Japão. Elenco o Urawa tem para ganhar a J-League até tranquilamente, mas transformar isso em realidade é outra história. Com as três derrotas do início da temporada (duas na ACL e uma na Supercopa), uma pequena crise já se instala no clube e o emprego de Petrovic estará em risco se as vitórias não vierem logo. No 1º Turno da J-League, o Urawa terminou em 1º lugar e atualmente, depois de 8 rodadas do 2º Turno, a equipe está na 5ª colocação.

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

J-League 2015

Hoje é a vez do FC Tokyo. O FC Tokyo costuma montar bons times, com jogadores de seleção e potencial para brigar pelas primeiras posições, mas acaba sempre pelo meio da tabela, para a decepção da sua torcida, que é uma das maiores do país. Em seu segundo ano no comando, o italiano Massimo Ficcadenti tem praticamente a mesma equipe à disposição, com o reforço do centroavante Ryoichi Maeda (ex-Iwata) para suprir as saídas de Edu (Jeonbuk Motors) e Kazuma Watanabe (Kobe). Com a jovem estrela Yoshinori Muto caindo pelo lado esquerdo e Hiroki Kawano armando pelo centro, os Gasmen têm um ataque de respeito. Ainda há bons jovens talentos para a posição de meia ofensivo. Shoya Nakajima (20 anos), camisa 10 da atual seleção olímpica, é o principal deles. Wataru Sasaki (18 anos) e Tasuku Hiraoka (19), recém-promovidos da base, também são vistos como jogadores de futuro. O ponto forte, no entanto, é a defesa, que tem vários jogadores com experiência de seleção japonesa (Gonda, Tokunaga, Morishige, Ota e Takahashi). O zagueiro italiano Michele Canini, único estrangeiro do elenco, tem sido apenas reserva. O setor foi o principal responsável por dois recordes do clube quebrados em 2014: menos gols sofridos em média (33 em 34 jogos) e maior invencibilidade (14 jogos seguidos sem derrota). Entre os volantes o destaque é Yonemoto, um dos líderes em desarmes na liga. O time deve jogar no 4-3-1-2 que Ficcadenti utilizou na maior parte do ano passado, tendo o 4-3-3 como segunda opção (geralmente quando Kawano está ausente). O FC Tokyo não fez uma grande contratação mas pelo menos agora possui um craque, alguém que decide jogos (mas se continuar assim, Muto pode ir para a Europa em breve). Resta ver se o time finalmente vai disputar o título ou vai continuar morrendo na praia.
Fonte: Guia J-League 2015 GE

sexta-feira, 31 de julho de 2015

J-League 2015

Mais uma cartela da J-League, a do Shonan Bellmare. O Shonan Bellmare fez tudo certo para ser promovido em 2014. Foi uma temporada perfeita. Mas começou 2015 tropeçando na hora de montar o elenco para a J1. Dispensou 24 jogadores - apenas três titulares, sendo que dois (Maruyama e Taketomi) estavam emprestados, mas perdeu o artilheiro Wellington Souza (20 gols na J2) por ter oferecido apenas seis meses de contrato a ele. O português Guima (ex-Cluj, da Romênia) seria o substituto, mas não passou nos exames médicos. De última hora chegou Bruno Correa, que vem de um semestre ruim no Botafogo onde jogou pouco e não fez nenhum gol. Entre os centroavantes, Yoshihito Fujita (ex-Marinos) é mais uma contratação contestável e Alison (emprestado pelo Mirassol-SP) é só uma promessa. O reforço que realmente empolgou foi o retorno do ídolo local Kaoru Takayama (ex-Kashiwa). Naoki Yamada (emprestado pelo Urawa) tem qualidade mas nunca teve uma sequência de jogos por causa de inúmeras lesões. Na defesa, a única mudança é no centro da zaga, onde André Bahia (ex-Botafogo) deve ser o titular. O elenco tem vários jogadores que estavam no Bellmare rebaixado em 2013 - Endo, Nagaki, Takayama, Daisuke Kikuchi, Kobayashi, Misao, Otake, Otsuki e Shimamura. O clube aposta na continuidade e o sul-coreano Cho Kwi-Jae vai para a quarta temporada no comando. Se manter a boa forma e o entrosamento de 2014, o Shonan pode sobreviver na J1 sem muitos sustos, mas a princípio briga só para não cair. No 1º Turno, o Shonan terminou na 10ª colocação e atualmente, depois de passadas 5 rodadas do 2º Turno, o Shonan está na 7ª colocação.

domingo, 26 de julho de 2015

J-League 2015

Depois de uma pausa, a J-League está de volta com o Shimizu S-Pulse. A temporada 2014 foi um Deus nos acuda para o Shimizu, que por pouco não foi rebaixado pela primeira vez. Apesar do desempenho ruim, o técnico estreante e ídolo local Katsumi Oenoki continua no comando, agora com a chance de iniciar o trabalho na pré-temporada. Nada menos que 16 novos jogadores chegaram - seis deles voltaram de empréstimo e três foram promovidos da base. Os principais nomes são os estrangeiros que vieram para o ataque: Peter Utaka (ex-Beijing Guoan) e Mitchell Duke (ex-Central Coast Mariners). Porém, nenhum deles vinha se destacando por seus clubes. Takashi Sawada (ex-Kumamoto) e Takuma Edamura (estava emprestado ao Nagoya) são outros bons reforços para o setor ofensivo.  A defesa, segunda mais vazada de 2014, é o grande ponto fraco. Rikihiro Sugiyama (ex-Kawasaki) veio para competir pela camisa 1 com Masatoshi Kushibiki, que é o goleiro da seleção olímpica mas tem falhado seguidamente. O elenco tem oito zagueiros e muitos têm sido usados como laterais. Shoma Kamata (ex-Shonan) e Tomoya Inukai (estava emprestado ao Matsumoto) são favoritos para atuar pelos lados da defesa. O S-Pulse é um time jovem, com a menor média de idade da J1 (24 anos). Tem muitos pratas da casa e Oenoki os conhece bem, pois era técnico da base antes de ser jogado na fogueira para treinar o time principal. Mas os resultados no último semestre colocaram em cheque sua capacidade. Se a defesa não melhorar e os novos atacantes não corresponderem, o Shimizu pode mais uma vez lutar contra o rebaixamento. No 1º turno, o Shimizu terminou na lanterna da competição e depois de 4 rodadas a equipe não está conseguindo reagir e está na penúltima colocação.
Fonte: Guia J-League 2015 GE

sábado, 25 de julho de 2015

Brasileirão 2015

A próxima série do Sandescudos será a do Brasileirão 2015, que já virou tradição. As postagem, continuarão a ser em ordem alfabética e iniciarão logo aós a ultima postagem da J-League 2015. Aguardem!!!!


Copa América 2015

Finalmente, o último post da Copa América. O Grupo C teve como atração principal a revanche entre Brasil e Colômbia, e dessa vez a Colômbia saiu vitoriosa e com Neymar dando uma aula de destempero e imaturidade, acabando expulso e fora do restante da competição. O destaque do grupo foi a equipe Peruana, capitaneada pelo atacante Paolo Guerrero, que pela 2ª vez terminou a competição como artilheiro. No grupo, três equipes classificaram-se para as Quartas: Brasil em 1º, Peru em 2º e Colômbia como 2º melhor 3º lugar de todos os grupos. Nas quartas, o Brasil decepcionou mais uma vez e foi eliminado pelo Paraguai nas penalidades. O Peru passou pela Bolívia e nas Semifinais perdeu para o Chile e acabou a competição em 3º lugar, vencendo o Paraguai por 2 x 0. Já a Colômbia, decepcionou e acabou eliminada nas Quartas de Final para a Argentina nas penalidades. O grande campeão foi o Chile, que pela 1ª vez conquista a Copa América e está classificado para a Copa das Confederações em 2017.

Brasil - (PDF) (PNG)
Colômbia - (PDF) (PNG)
Peru - (PDF) (PNG)
Venezuela - (PDF) (PNG)

terça-feira, 14 de julho de 2015

J-League 2015

Depois de uma pausa nas publicações da J-League, volto hoje com o Sanfrecce Hiroshima. Uma palavra define a pré-temporada do Hiroshima: preocupante. Afinal, dois de seus principais jogadores foram embora. Naoki Ishihara para o Urawa e Yojiro Takahagi para o Western Sydney Wanderers. É bem verdade que já virou rotina perder atletas importantes para outros times, mas a falta de reposição é alarmante. Para o ataque vieram apenas Kohei Kudo e Douglas - ambos estavam na J2 com o Kyoto Sanga. Kudo é um meia de distribuição que também atua como volante. Douglas é atacante de definição. O volante Kosei Shibasaki pode passar a jogar mais adiantado, ao lado da promessa Gakuto Notsuda ou do veterano Koji Morisaki. Hisato Sato, o centroavante dos gols bonitos, está prestes a completar 33 anos mas ainda é o craque do time, junto com o volante Toshihiro Aoyama e o zagueiro da seleção japonesa Tsukasa Shiotani. Nas alas, posição que mais se desgasta no 3-4-2-1 de Hajime Moriyasu, há uma espécie de revezamento com três boas opções para cada lado: Mihael Mikic na ala direita, Satoru Yamagishi na esquerda e mais dois que atuam pelos dois lados: Yoshifumi Kashiwa e Kohei Shimizu. A defesa, que era o ponto forte, mostrou fraquezas no semestre passado. O trio Shiotani, Chiba e Mizumoto deve continuar como titular mas agora há concorrência com Sho Sasaki (ex-Kofu). Moriyasu terá que tirar um coelho da cartola para fazer sua equipe recuperar o bom futebol perdido em algum momento de 2014 e voltar a disputar as primeiras posições. No 1º turno, o Sanfrecce terminou na 3ª colocação e no 2º turno, depois da 1ª rodada, a equipe está na 3ª colocação.

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Copa América 2015

Não consegui postar antes da Final o restante das cartelas, mas terminarei esse série o mais rápido possível. Hoje é a vez do grupo B. Os platinos foram as principais forças do grupo. A Argentina de Messi e o Uruguai de Cavani (Suárez cumpriu suspensão pela mordida em Chiellini na Copa do Mundo) classificaram-se sem problemas. O Uruguai acabou sendo eliminado pelo Chile, nas Quartas e a Argentina mais uma vez ficou com o Vice, perdendo para o Chile nas penalidades.  Lesionado, o atacante Óscar Cardozo desfalcaou o Paraguai que contou com a dupla Lucas Barrios e Roque Santa Cruz, que se classificou como terceiro do grupo e nas Quartas de Final, masi uma vez despachou o Brasil nas penalidades. Convidada, a seleção da Jamaica não passou de um mero figurante.

Argentina - (PDF) (PNG)
Jamaica - (PDF) (PNG)
Paraguai - (PDF) (PNG)
Uruguai - (PDF) (PNG)

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Copa América 2015

Antes da Final da Copa América, tentarei postar todas as seleções. Postarei os grupos completos e hoje é o Grupo A. Jogando em casa, o Chile fez valer o favoritismo e conseguiu facilmente a classificação para a  próxima fase. Com um time recheado de destaques em grandes times europeus, a equipe do técnico Jorge Sampaoli chegou para a competição embalada pela boa participação na Copa do Mundo, foi eliminada pela Brasil nas oitavas. Sem a altitude, a Bolívia contava com os gols de Marcelo Moreno, ex-Grêmio, para brigar com o Equador pela classificação, e conseguiu. O Equador chegou ao Chile com a tarefa de quebrar um tabu: há quase 14 anos, três edições ou nove jogos, os equatorianos não venciam uma partida na competição sul-americana. O tabu caiu na vitória por 2 a 1 para o México, mas a classificaão não veio. Com uma equipe montada sem os principais jogadores do país, os mexicanos "preservaram" seus principais jogadores para a disputa da Copa Ouro em julho, e acabaram na lanterna do Grupo.

 Bolívia - (PDF) (PNG)
Chile - (PDF) (PNG)
Equador - (PDF) (PNG)
México - (PDF) (PNG)

terça-feira, 30 de junho de 2015

J-League 2015

Aos poucos as postagens da J-League vão saindo. Hoje é a vez da cartela do Sagan Tosu. Desde que subiu para a J1, as temporadas do Sagan Tosu têm sido oito ou oitenta. Ou vai muito bem e disputa as primeiras posições (2012 e 2014) ou vai muito mal e luta contra o rebaixamento (2013). O ponto em comum é que o time nunca começa entre os favoritos. É difícil para um clube pequeno segurar seus principais jogadores após uma boa campanha, mas nisso a diretoria teve sucesso. Renovou com o goleiro Akihiro Hayashi, com o volante Naoyuki Fujita, com os meias Kim Min-Woo e Kota Mizunuma e também com o centroavante Yohei Toyoda. A única saída que deve ser sentida é a do lateral Michihiro Yasuda (Kobe). Seu substituto, Yutaka Yoshida (ex-Shimizu), vem de um ano inconsistente. O meia Baek Sung-Dong (ex-Iwata) pode se mostrar uma boa aquisição caso se mantenha saudável - é um jogador de muito talento mas que foi pouco aproveitado no Júbilo por causa de seguidas lesões. O Tosu é e joga como time pequeno. Prioriza a defesa, fica na espera de um contra-ataque e abusa das bolas longas. Na frente, Toyoda é um dos melhores centroavantes da liga. É um adversário difícil de ser batido e que sabe se defender. O recém-chegado Hitoshi Morishita não deve fazer muitas mudanças no estilo de jogo. Se ele apenas der continuidade ao trabalho do antigo treinador Yoon Jung-Hwang, terá uma equipe que dificilmente briga por algo, mas que vai dar trabalho. Terminado o 1º Turno, o Sagan Tosu ficou na 11ª colocação.